Eu li: A arte da imperfeição - Brené Brown

Autora: Brené Brown
Editora: Novo Conceito (parceira do blog)
Sinopse: Este importante livro é sobre a jornada de uma vida, deixando de se preocupar com "O que os outros vão pensar?" e acreditando que "Eu sou suficiente". A habilidade ímpar da autora em misturar pesquisa original com relatos faz com que a leitura de A Arte da Imperfeição pareça uma longa e animadora conversa com uma amiga muito sábia que oferece compaixão, sabedoria e ótimos conselhos. A cada dia nos deparamos com uma enxurrada de imagens e mensagens da sociedade e da mídia nos dizendo quem, o que e como devemos ser. Somos levados a acreditar que, se pudéssemos ter um olhar perfeito e levar uma vida perfeita, já não nos sentiríamos inadequados. E se eu não posso manter todas essas bolas no ar? Por que não é todo mundo que trabalha duro e vive às minhas expectativas? O que as pessoas vão pensar se eu falhar ou desistir? Quando posso parar de provar a mim mesmo? Em A Arte da Imperfeição, Brené Brown, Ph.D, é uma especialista em vergonha, autenticidade e compartilha a coragem que aprendeu em uma década de pesquisas sobre o poder de viver sinceramente.

Vou ser sincera: eu leio auto-ajuda, mas é realmente muito difícil eu gostar deles. Foram pouquíssimos os que eu gostei (que não parecia uma receita de bolo, nem um imperativo sem fim: faça isso, não faça aquilo). O livro é realmente muito bom! A autora Brené Brown é PhD e tem uma escrita simples, leve e muito bacana. Eu comecei o livro sem grandes expectativas por ele ser um auto-ajuda, porém me surpreendeu por completo. A autora nos traz pontos-chaves, para que possamos ser verdadeiramente nós mesmos, buscando uma vida plena e vivendo com gratidão. Em nenhum momento a autora trouxe imperativos exagerados. Ela trouxe um apanhado de seus estudos (sem ser chata ou cientificista), observando muito bem os mecanismos simples que podem nos ajudar em ter uma vida plena: auto-suficiência, esforço saudável, gratidão, entre tantos outros citados. O que mais me chocou, mexeu comigo foi o capítulo em que ela aborda o perfeccionismo. Você pode ler ali no meu perfil que eu me julgo perfeccionista. Para mim, apesar de ser um defeito para os outros (acaba se tornando uma chata), na minha vida sempre aparecia como algo positivo. Ela consegue destrinchar este conceito de maneira tão simples, mas tão intensa que me fez perder o equilíbrio. Perfeccionismo está ligado ao querer que os outros gostem, aceitem e nos vejam bem (sem contar outros desenroles, que não irei citar para não se tornar spoiler= perder a graça). Isso mexeu muito comigo. Nunca havia pensado este, como os outros tópicos desta maneira. Se você curte um auto-ajuda, aliás até se não curte muito, recomendo muitíssimo esta leitura! Com certeza irá ver a vida e sua própria prática com outros olhos. Não posso deixar de citar que a capa está incrível, eu adorei o trabalho gráfico! A Editora está de parabéns! :)


Beijo grande,
Endryelle Santos.

6 comentários:

Jaqueline Silva disse...

Endry, comecei a ler esse livro mas não consegui ir adiante. Não sei, acho que não peguei ele em uma boa hora. Resolvi deixar de lado para ler futuramente. O pouco que li deu para ver que ele é bem diferente da maioria dos livros de auto-ajuda. É como se a autora estivesse conversando ao nosso lado.

Enfim, lerei ele em um melhor momento.

p.s: Enviei sua cartinha ontem :)

Amanda Almeida disse...

Oi Endry, tudo bem?
Eu sou uma daquelas que não curtem livros desse gênero pelo que você disse, o excesso de imperativos. E sempre fui da opinião de que as situações nunca são as mesmas, por mais semelhantes que pareçam, afinal somos iguais, mas também diversos. com relação a esse livro fiquei curiosa, em partes pelo que você escreveu, e em outra porque me identifiquei. Acho que a mensagem que ele passa é uma que estou precisando ouvir.
Abraços flor,
Amanda

@dudsparrow disse...

oi querida,
eu curto autoajuda dependendo do estilo. Os muito apelativos já me irritam :S
Adorei a sinopse, a capa é meio feia mas fiquei com curiosidade de ler!
boa semana
;*

dudsparrow.blogspot.com

Antonia Chevallier Sundrani disse...

Não é meu estilo de livro preferido, mas considerando que você também não gosta muito e gostou desse talvez eu curta!
Beijos, flor!

Ann;
http://www.vinteepoucos.com.br/

Lorena Rocco disse...

Não sou lá grande fã desse gênero tbm.
Acho receita de bolo, mas alguns já me surpreenderam. E muito!

Beijo!

Cih_colorex disse...

Olha, vou te dizer que também acho livro de auto-ajuda um porre mas, tem alguns raros que colocam os conselhos de forma suave e discreta que quase a gente não percebe!
Só que é muito difícil isso acontecer.
Kiss